“Clima de interior, barman badalado e preços amigos”
Época São Paulo (outubro de 2008)

“Para probar la mejor caipirinha de São Paulo hay que buscar este bar, en la esquina de una plazoleta con aires de pueblo”
El País (julho de 2008)

“Boteco com ares cariocas bem no meio da Vila Mariana”
O Estado de São Paulo (maio de 2007)

“Uma paisagem de interior pertinho da agitação da Avenida Paulista”
Revista da Folha (abril de 2009)

“As paredes são cobertas por camisas de times de futebol, caricaturas e fotos
do bar Veloso do Rio de Janeiro – histórico botequim dos anos 50 e 60”
Guia da Folha (setembro de 2006)

“O boteco tem um público cativo que não arreda o
pé de lá nem em feriado prolongado”
Revista da Folha (maio de 2008)

“Um de seus  trunfos é a localização, em frente a um larguinho de jeitão interiorano. Atrás do balcão brilha o barman Souza, que prepara uma das melhores
caipirinhas da cidade”
Veja São Paulo (setembro de 2007)

“Parece um legítimo botequim do Rio de Janeiro de antigamente”
Prazeres da Mesa (outubro de 2007)

“El lugar es sencillo y encantador, cada vez más famoso gracias a suas
fantásticas caipirinhas. Está justo frente a una pequeña plaza y tiene
el ambiente de un bar de un pueblito pequeño”
Revista In (agosto de 2007)

“Preparadas pelo barman Souza, as caipirinhas do Veloso estão
entre as melhores da cidade”
Guia da Folha (setembro de 2008)

“Souza gasta menos de um minuto para montar cada caipirinha e,
acredite, o resultado beira a perfeição”
Veja São Paulo (setembro de 2008)

“As caipiroscas, principalmente a clássica de lima-da-pérsia,
são imperdíveis. Vale a visita”
RSVP (novembro de 2008)

“A coxinha tem massa sequinha, recheio cremoso
e sabor acima da média”
Revista da Folha (setembro de 2008)

“A coxinha é frita na hora, garantindo uma massa
crocante, com sabor caseiro”
Agora São Paulo (maio de 2008)

“De tão macia e delicada, a massa quase se mistura, a cada mordida, com o recheio, igualmente úmido e cremoso – uma mistura bem balanceada de frango desfiado e catupiry”
 Folha de S. Paulo - Ilustrada (fevereiro de 2009)

“Quando a porção de seis delícias coradas chega à mesa, a alegria é geral.
As coxinhas do Veloso – assim como as caipirinhas – são uma das grandes
 razões do imenso sucesso do pequeno bar. E com toda razão. Elas têm
casquinha superfina e crocante. O recheio é de peito de frango bem
desfiadinho e picado, refogado com salsinha e temperos”
Época São Paulo (novembro de 2008)

“Conhecido pelas coxinhas com catupiry e pelas sensacionais caipirinhas do barman Souza, o boteco da Vila Mariana também ganhou projeção pela feijoada de gostinho caseiro. Rico em sabor, o substancioso cozido tem bom equilíbrio entre feijão-preto e pertences. Acompanhamento perfeito são as caipirinhas, entre elas a de caju com limão, a de jabuticaba
e a de tangerina com pimenta dedo-de-moça”
Veja São Paulo (setembro de 2009)